Abraçando novos desafios - Boletim 003/2021

Nosso novo lar!


Sim, vamos para um novo Lar. Depois de 05 anos sendo acolhidas pela Associação das Senhoras da Caridade na Casa da Providência, breve estaremos de mudança.


Com todo esse processo é impossível não passar um filme pela nossa cabeça….

“Lá no início, éramos 11 famílias. Com o passar do tempo, fomos crescendo, crescendo... Hoje somos mais de 320 famílias. Cada uma com sua peculiaridade, cada criança com sua história, mas com um ponto em comum: a dificuldade de acesso para chegar a nossa Sede.” conta Joana, Presidente do aBRAÇO.


A Casa da Providência fica na Saúde, um bairro no centro de Salvador. Acessibilidade é um problema real, enfrentado no dia a dia pelas famílias acolhidas pela aBRAÇO - é necessário andar e subir uma ladeira íngreme para chegar e encarar escadas dentro do espaço.


Vamos lembrar que, em sua maioria, as crianças têm dificuldades motoras e fazem uso de cadeiras de rodas, e o ponto de ônibus mais próximo para algumas famílias fica a quase 1Km.

Nunca fechamos os olhos a essa realidade, nem sequer cruzamos os braços. Começamos a pensar em outras opções de espaço físico. Surgiram diversas ideias, como alugar, unir-se a outra instituição.


Em 2018, demos entrada no Programa do Estado para obtenção de um espaço próprio. Foi um longo processo de busca. O Estado apresentava imóveis inativos (escolas, por exemplo), mas quando algum órgão estadual pedia, tinha prioridade. E também, fundamentalmente, precisávamos ter um olhar mais do que especial para a acessibilidade.


Depois de uma longa jornada, em junho de 2021, finalmente saiu a cessão de uso para o local onde era a Fundação Elcy Freire de Carvalho, em Mussurunga. É uma área melhor do que esperávamos. Como diz o dito popular “demorou, mas valeu a pena esperar”.


O desafio agora é muito maior porque a instituição mudará de tamanho não só fisicamente. Temos agora um espaço para ampliação dos serviços, executar novos projetos, para treinamentos profissionais, para realizar outros sonhos. Isso nos anima, nos alimenta, desperta uma enorme gratidão. Mas também reconhecemos um sentimento de medo do desconhecido. Não temos convênios públicos, a obra está estimada em mais de R$800.000.oo. Conta de água, luz agora serão inteiramente nossas. Novas despesas surgirão ao longo do caminho. Precisaremos nos sustentar, caminhar com nossos pés no chão. Sabemos também que a ONG começa a ocupar outro lugar no Estado e esse é um grande desafio.


Daremos um outro passo: vamos sair do colo das mães da Associação das Senhoras da Caridade, que sempre nos acolheram, para andar com nossas próprias pernas. Como nos sentimos agora? Joana expressa que: “Nossa maturidade institucional e nossa responsabilidade social com as famílias crescem proporcionalmente com esse novo espaço. E, olhando para onde começamos, visitando nossa história, vamos lembrando e resgatando que foi esse mesmo sentimento de medo do desconhecido que nos fez chegar até aqui. É acolhendo esse sentimento, reconhecendo sua existência que sabemos que poderemos enfrentá-lo e seguir em frente, de casa, idade e maturidade nova”.


Recebendo e distribuindo abraços


Pensam que nossos atendimentos pararam nesse segundo trimestre? De forma alguma… Ampliamos nossa rede de parceria e passamos a proporcionar atendimento ginecológico às mães acolhidas pela aBRAÇO. Daniela Marques, médica responsável pela clínica SER, conta como nasceu a ideia: “Conversando com Joana (presidente da nossa ONG), soubemos que muitas mães não faziam acompanhamento médico, sobretudo ginecológico, há muito tempo." Com a colaboração das ginecologistas da Clínica SER, os atendimentos começaram a ser feitos no mês de maio, proporcionando mais esse importante cuidado às mães associadas a ONG. "Toda mulher precisa fazer preventivo ginecológico anualmente. Estamos cuidando dessas pacientes com o maior prazer”, finaliza Daniela.

Também tivemos uma importante ação voltada a distribuição de Vale Alimentação doados pelo grupo Gerando Falcões, onde 287 famílias foram beneficiadas com um suporte financeiro de R$300,00.


Ivanir Santos, mãe de Bia, foi uma das beneficiadas e relatou, de maneira especial, a gratidão sentida “Só tenho a agradecer o Abraço por tudo. Chegou no momento que estava precisando. Muito obrigado a família Abraço por sempre nos abraçar”.


Além desse Ticket Alimentação, também tivemos entrega de 16 órteses/extensores e medição de mais 14, doação de mais de 200 cestas básicas, além de fraldas, lenços, sabonetes, pomadas e máscaras.


Doando amor e afeto, trocando experiências com novos parceiros, renovando as esperanças. Assim seguimos em frente.


Ampliando nossa rede de abraços


Nossa equipe de parceiros e voluntários está crescendo, aumentando a possibilidade de oferecermos mais atendimento às famílias associadas a aBRAÇO

No segundo trimestre, 03 (três) novos dentistas se incorporaram ao nosso time; fizemos parcerias com a VOÁ - Livre para Sorrir e OdontoClinica Santo Amaro, e com o LPC para a realização de exames laboratoriais as crianças associadas.


Ganhamos também 06 (seis) novos psicólogos, que formaram a primeira equipe de apoio posológico da instituição. Emília Simões começou recentemente a se doar e fala um pouco sobre essa experiência: “Já ouvia falar da aBRAÇO por Márcia (psicóloga responsável da ONG). Ela sempre fazia o convite para participar desse projeto, mas, por motivos pessoais, não era possível. Durante a pandemia, tive a oportunidade de trabalhar online, atendendo várias pessoas com COVID. Essa nova forma de atendimento facilitou bastante, tornou possível me abraçar à causa.”


Emília fala ainda sobre a maior motivação para trabalhar na ONG - “Responsabilidade Social. A gente estuda, vive, aprende com as oportunidades da vida…. Acredito, de verdade, que podemos retribuir o que recebemos dando o que temos de melhor para outras pessoas. Gosto muito de trabalhar com mulheres, em especial negras. Boa parte delas não tem ajuda fácil em ONGs ou de outra forma. Isso me motivou a abraçar essa proposta.”


Atualmente, Emília acompanha três mulheres associadas a aBRAÇO e sintetiza o que vem sentido com essa experiência afirmando que são “três vidas, três mulheres, três situações distintas que se encontraram na ONG e que acrescentam a mim como pessoa, como mulher negra.”


Doar o seu melhor transforma quem doa e quem recebe. E o mundo, agradece.


Quer fazer parte da nossa história? Saiba como apoiar nossa causa, acesse o site clicando aqui.


Boletim 003/2021


Núcleo Comunicação

Cristiane Magalhães

Jaianne Costa

Joana Passos

Mariana Costa

Natália Borges

Rarisa Santos

87 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo